terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Cursos do Blog - Termologia, Óptica e Ondas

Simulado de final de ano

As resoluções das questões propostas abaixo, especialmente selecionadas para você que está prestando vestibular, ou vai prestar, serão publicadas na próxima terça-feira, dia 7 de janeiro.

Borges e Nicolau

Exercício 1:
(UFAM)
Um homem de altura y está a uma distância D de uma câmara de orifício de comprimento L. A sua imagem formada no interior da câmara tem uma altura y/20. Se duplicarmos a distância entre o homem e o orifício, a nova imagem terá altura:

 a) y/120  b) y/80  c) y/60  d) y/2  e) y/40

Exercício 2:
(UESPI)
Uma bola vai do ponto A ao ponto B sobre uma mesa horizontal, segundo a trajetória mostrada na figura a seguir. Perpendicularmente à superfície da mesa, existe um espelho plano. Pode-se afirmar que a distância do ponto A à imagem da bola quando ela se encontra no ponto B é igual a:


A) 8 cm
B) 12 cm
C) 16 cm
D) 20 cm
E)  32 cm

Exercício 3:
(UFAM)
Um raio de luz, i, incide paralelamente ao eixo principal de um espelho côncavo de raio de curvatura de 60 cm. O raio refletido vai atravessar o eixo principal no ponto de abscissa, em cm, igual a:


a) 30   b) 10   c) 20   d) 60   e) 40

Exercício 4:
(Mackenzie-SP)
Um objeto real se encontra sobre o eixo principal de um espelho côncavo, de distância focal 10 cm, e a 20 cm do vértice do espelho. Sendo obedecidas as condições de Gauss, sua imagem é

a) real e direita.xxxxxxxxxxb) real e invertida.
c) virtual e direita.xxxxxxxxd) virtual e invertida.
e) imprópria, localizada no infinito.

Exercício 5:
(UNIFAL-MG)
Um objeto real, direito, situado no eixo principal de um espelho esférico côncavo, 20 cm distante do vértice do espelho, forma uma imagem real situada a 60 cm do vértice do espelho. Assinale a alternativa correta.

a) A imagem formada está entre o foco e o centro de curvatura.
b) A imagem formada é maior que o objeto e direita.
c) A distância focal do espelho é de 30 cm.
d) A imagem é menor que o objeto e invertida.
e) O objeto está situado entre o foco e o centro de curvatura do espelho.

Exercício 6:
(Unimontes-MG)
Um mergulhador, submerso em um lago, vê o Sol fazendo um ângulo de elevação aparente θ = 45º, com a superfície do lago. Seja α o ângulo de elevação real que o Sol faz com o horizonte, na situação descrita.
O valor de [sen(α)]2 é, aproximadamente,
Dados:
Índice de refração do ar = 1,00
Índice de refração da água = 1,33
sen 45º ≅ 0,710
sen (90º - x) = cos (x)


A) 0,389
B) 0,554
C) 0,412
D) 0,108

Exercício 7:
(UFRR)
A figura mostra um material, em formato de quadrado, com índice de refração desconhecido. No canto direito, inferior, do quadrado, emerge um feixe de luz. A luz atravessa a diagonal do quadrado e sai pelo seu canto esquerdo, superior, de modo que a direção de propagação da luz no ar (cujo índice de refração é aproximadamente igual a 1) seja paralela ao lado superior do quadrado. Nestas condições:


A) O índice de refração do material é 0,707.
B) O índice de refração do material é 2/2
C) O índice de refração do material é 2
D) O índice de refração do material é 0,5
E) O índice de refração do material é 2

Exercício 8:
(UFES)


Para que ocorra reflexão total em uma fibra óptica, é necssário que

A) o índice de reflexão do núcleo seja igual ao do revestimento
B) o índice de refração do núcleo seja igual ao do revestimento
C) o índice de reflexão do núcleo seja maior que o do revestimento
D) o índice de refração do núcleo seja maior que o do revestimento
E) o índice de refração do núcleo seja menor que o do revestimento

Exercício 9:
(UFU-MG)
A figura abaixo representa um feixe de luz branca viajando pelo ar e incidindo sobre um pedaço de vidro crown. A tabela apresenta os índices de refração (n) para algumas cores nesse vidro.


Nesse esquema o feixe refratado 3 corresponde à cor


A) branca
B) violeta
C) verde
D) vermelha

Exercício 10:
(UECE)
Um raio de luz propagando-se no ar incide, com um ângulo de incidência igual a 45º, em uma das faces de uma lâmina feita com um material transparente de indice de refração n, como mostra a figura.


Sabendo-se que a linha AC é o prolongamento do raio incidente, d = 4 cm e
BC = 1 cm, assinale a alternativa que contém o valor de n.

A) 23
B) 52/6
C) 33/2
D) 1,5

Exercício 11:
(UTFPR)
Um objeto é colocado frente ao sistema óptico representado abaixo. Esboce a imagem formada:


Assinale as alternativas abaixo com V se verdadeira ou F se falsa.

(  ) A formação da imagem esquematizada é comum nas câmeras fotográficas.
(  ) A imagem é invertida, maior e pode ser projetada num anteparo.
(  ) A imagem forma-se geometricamente entre o foco imagem e o ponto antiprincipal.

A sequência correta será:

A) V, F, V
B) V, F, F
C) F, V, F
D) F, F, F
E) V, V, F

Exercício 12:
(UFTM)
As figuras mostram um mesmo texto visto de duas formas: na figura 1 a olho nu, e na figura 2 com auxílio de uma lente esférica. As medidas nas figuras mostram as dimensões das letras nas duas situações.


Sabendo que a lente foi posicionada paralelamente à folha e a 12 cm dela, pode-se afirmar que ela é


(A) divergente e tem distância focal -20 cm
(B) divergente e tem distância focal -40 cm
(C) convergente e tem distância focal 15 cm
(D) convergente e tem distância focal 20 cm
(E) convergente e tem distância focal 45 cm

Exercício 13:
(PUC-PR)
A equação de Gauss relaciona a distância focal (f) de uma lente esférica delgada com as distâncias do objeto (p) e da imagem (p’) ao vértice da lente. O gráfico dado mostra a distância da imagem em função da distância do objeto para uma determinada lente. Aproximadamente, a que distância (p) da lente deve ficar o objeto para produzir uma imagem virtual, direita e com ampliação (m) de 4,0 vezes?



A) 10 cm
B) 20 cm
C) 8,0 cm
D) 7,5 cm
E) 5,5 cm


Exercicio 14:
(UFAM)
Um objeto retilíneo de 4 cm é colocado transversalmente ao eixo principal de uma lente esférica convergente. A distância entre o objeto e o centro da lente vale 36 cm. A distância focal da lente vale 12 cm. A amplificação e o tamanho da imagem valem respectivamente:

a)  -0,50 e - 2 cm (invertida)
b)  -0,75 e - 2 cm (invertida)
c)  -0,25 e – 2 cm (invertida)
d)  0,50 e 2 cm (direita)
e)  0,75  e  2 cm (direita)


Exercício 15:
(UFPE)
Um objeto de altura h = 2,5 cm está localizado a 4,0 cm de uma lente delgada de distância focal f = +8,0 cm. Determine a altura deste objeto, em cm, quando observado através da lente.


A) 3,0
B) 4,5
C) 5,0
D) 6,5
E) 2,5

Exercício 16:
(VUNESP-SP)
Para que alguém, com o olho normal, possa distinguir um ponto separado de outro, é necessário que as imagens desses pontos, que são projetadas em sua retina, estejam separadas uma da outra a uma distância de 0,005 mm.



Adotando-se um modelo muito simplificado do olho humano no qual ele possa ser considerado uma esfera cujo diâmetro médio é igual a 15 mm, a maior distância x, em metros, que dois pontos luminosos, distantes 1 mm um do outro, podem estar do observador, para que este os perceba separados, é:

a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. e) 5. 


Exercício 17:
(UFSCAR-SP) 
... Pince-nez é coisa que usei por largos anos, sem desdouro. Um dia, porém, queixando-me do enfraquecimento da vista, alguém me disse que o mal talvez viesse da fábrica. ...
(Machado de Assis, Bons Dias, 1888.)


Machado de Assis via-se obrigado a usar lentes corretivas que, em sua época, apoiavam-se em armações conhecidas como pince-nez ou lorgnon, que se mantinham fixas ao rosto pela ação de uma débil força elástica sobre o nariz. 
Supondo que Machado, míope, só conseguisse ver nitidamente objetos à sua frente desde que estes se encontrassem a até 2 m de seus olhos, e que ambos os olhos tivessem o mesmo grau de miopia, as lentes corretivas de seu pince-nez deveriam se de vergência, em dioptrias,


a) +2,0.     b) -0,5.     c) -1,0.
d) - 1,5.     e) -2,0.

Exercício 18: 
(UEA)
Gotas de água pingam, periodicamente, sobre a superfície tranquila de um lago produzindo ondas planas circulares. As gotas pingam em intervalos regulares de tempo, de modo que 8 gotas tocam a superfície da água do lago a cada 10 s.



Considerando que a distância entre duas cristas sucessivas dessas ondas seja de 20 cm, pode-se afirmar que a velocidade de propagação das ondas na água, em cm/s, é igual a
 

(A) 8.
(B) 12.
(C) 16.
(D) 20.
(E) 25. 


Exercício 19:
(PUC-RIO)
Uma corda presa em suas extremidades é posta a vibrar. O movimento gera uma onda estacionária como mostra a figura.


Calcule, utilizando os parâmetros da figura, o comprimento de onda em metros da vibração mecânica imposta à corda.

(A) 1,0
(B) 2,0
(C) 3,0
(D) 4,0
(E) 6,0

Exercício 20:
(CEFET-MG)
Considere a seguinte informação sobre a velocidade de propagação do som em dois meios distintos.


Velocidade do som no ar (a uma dada temperatura) = 351 m/s.
Velocidade do som na água destilada (a 0 ºC) = 1404 m/s.


Uma fonte sonora, próxima a superfície da água, produz ondas que se propagam pelo ar e pela água. A razão entre os comprimentos de onda, dentro e fora da água, é, respectivamente, igual a
 

a) 1/4
b) 1/2
c) 1
d) 2
e) 4 

Ano novo!


segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Cursos do Blog - Mecânica

Simulado de final de ano

As resoluções das questões propostas abaixo, especialmente selecionadas para você que está prestando vestibular, ou vai prestar, serão publicadas na próxima segunda-feira, dia 6 de janeiro.

Borges e Nicolau

Exercício 1:
(UFTM)
Após a cobrança de uma falta, num jogo de futebol, a bola chutada acerta violentamente o rosto de um zagueiro. A foto mostra o instante em que a bola encontra-se muito deformada devido às forças trocadas entre ela e o rosto do jogador.

 

A respeito dessa situação são feitas as seguintes afirmações:

I. A força aplicada pela bola no rosto e a força aplicada pelo rosto na bola têm direções iguais, sentidos opostos e intensidades iguais, porém, não se anulam.
II. A força aplicada pelo rosto na bola é mais intensa do que a aplicada pela bola no rosto, uma vez que a bola está mais deformada do que o rosto.
III. A força aplicada pelo rosto na bola atua durante mais tempo do que a aplicada pela bola no rosto, o que explica a inversão do sentido do movimento da bola.
IV. A força de reação aplicada pela bola no rosto, é a força aplicada pela cabeça no pescoço do jogador, que surge como consequência do impacto.

É correto o contido apenas em

(A) I.
(B) I e III.
(C) I e IV.
(D) II e IV.
(E) II, III e IV.

Exercício 2:
(UECE)
Uma pessoa está empurrando um bloco com velocidade constante sobre uma superfície horizontal. Considerando que haja atrito entre o bloco e a superfície horizontal, pode-se afirmar, corretamente, que o bloco se move desta maneira porque:

A) A força de atrito cinético é ligeiramente superior à força aplicada pela pessoa.
B) o somatório das forças que atuam no bloco é zero.
C) a força atuando no bloco é maior que a força de atrito.
D) a massa do homem é superior à massa do bloco.

Exercício 3:
(UFV-MG)
A figura mostra o gráfico da velocidade V em função do tempo t de uma partícula que viaja em linha reta.


Das opções abaixo, aquela que mostra o gráfico CORRETO do módulo da força resultante F que atua nessa partícula em função do tempo t é:



Exercício 4:
(UFLA-MG)
Na figura abaixo pode-se observar um corpo A de massa mA e um corpo B de massa mB, ligados por um fio ideal (sem massa, inextensível), que passa por uma roldana isenta de atrito. Considerando o sistema em equilíbrio estático, em que a massa 
mB = 3.mA, pode-se afirmar que a força normal que o solo exerce sobre o corpo B é:


(A) zero A
(B) 3/2.mB.g
(C) 3.mA.g
(D) 2/3.mB.g

Exercício 5:
(UFLA-MG)
Considere um bloco que desça um plano inclinado com atrito, com velocidade constante. A alternativa que mostra CORRETAMENTE a resultante das forças que atuam sobre o bloco é


Exercício 6:
(UFU-MG)
Um bloco de massa M = 8 kg encontra-se apoiado em um plano inclinado e conectado a um bloco de massa m por meio de polias, conforme figura abaixo.


O sistema encontra-se em equilíbrio estático, sendo que o plano inclinado está fixo no solo. As polias são ideais e os fios de massa desprezível. Considerando 
g = 10 m/s2, θ = 30º e que não há atrito entre o plano inclinado e o bloco de massa M, marque a alternativa que apresenta o valor correto da massa m, em kg. 
(Dados: sen 30º = 1/2; cos 30º = 3/2)

A) 23
B) 43
C) 2
D) 4

Exercício 7:
(UECE)
Na figura abaixo, considere que as cordas são inextensíveis e de massas desprezíveis e a polia é ideal.



Além disso, considere os coeficientes de atrito estático entre cada um dos blocos

(B e C) e a superfície horizontal iguais a 0,25 e a 0,50, respectivamente.
Se os blocos A e B pesam 10 N cada um, o peso do terceiro bloco C, ligado a B, para que o conjunto esteja na iminência de deslizar é
 

A) 15 N                               
B) 30 N      
C) 45 N
D) 60 N
 

Exercício 8:
(Mackenzie-SP)
Um estudante de Física observa que, sob a ação de uma força vertical de intensidade constante, um corpo de 2,0 kg sobe 1,5 m, a partir do repouso. O trabalho realizado por essa força, nesse deslocamento, e de 36 J. Considerando a aceleração da gravidade no local igual a 10 m/
s2, a aceleração, adquirida pelo corpo, tem módulo
 

a) 1,0 m/s2 xxb) 2,0 m/s2 xxc) 3,0 m/s2
d) 4,0 m/s2 xxe) 5,0 m/s2

Exercício 9:
(PUC-SP)
Considere que, numa montanha russa de um parque de diversões, os carrinhos do brinquedo, de massa total m, passem pelo ponto mais alto do loop, de tal forma que a intensidade da reação normal nesse instante seja nula.



Adotando r como o raio do loop e g a aceleração da gravidade local, podemos afirmar que a velocidade e a aceleração centrípeta sobre os carrinhos na situação considerada valem, respectivamente,

a) √(mrg) e mr
b) √(rg) e mg
c) √(r/g) e mr/g
d) √(rg) e nula

e) √(rg) e g

Exercício 10:
(UEA)
Para mudar uma caixa de 80 kg de lugar sobre um plano horizontal, uma pessoa empurra, exercendo sobre ela uma força horizontal de intensidade variável.



Sabe-se que a caixa estava inicialmente parada e que a intensidade da componente horizontal da força resultante sobre ela, nos primeiros 4 m de deslocamento, variou conforme o gráfico.



Se a caixa deslocou-se em linha reta, sua velocidade, depois de 4 m de percurso, em m/s, é de
(A) 0,5.
(B) 1,5.
(C) 2,0.
(D) 2,5.
(E) 3,0.
 

Exercício 11:
(UFOP-MG)
A esfera mostrada na figura abaixo inicialmente se desloca sobre um plano horizontal com velocidade constante V0, quando a partir do ponto A é obrigada a deslizar sem atrito pela trajetória ABCDEF, sem perder o contato com a pista.
Considerando a figura abaixo e a lei de conservação de energia, indique a alternativa correta.


A) A energia cinética da esfera no ponto A é maior do que a energia cinética em qualquer outro ponto da trajetória.
B) A energia mecânica no ponto B é maior do que no ponto D.
C) A soma da energia potencial da esfera no ponto C e no ponto E é igual à energia potencial em A.
D) No ponto F, a velocidade da esfera é V0 . 

Exercício 12:
(UEG-GO)
Em um edifício de M andares moram N pessoas por andar.
Cada andar possui altura h. O elevador do edifício possui um contrapeso e, por isso, quando se move vazio, o consumo de energia pode ser desprezado. Seja m a massa média dos moradores que utilizam o elevador, individualmente, duas vezes por dia. Desprezando-se as perdas por atrito, a energia total consumida pelo motor do elevador, em um dia, é

(A) (1+M)MNmgh
(B) (1+M)MNmgh/2
(C) 2MNmgh
(D) MNmgh
(E) MNmgh/2

Exercício 13:
(UNIFAL-MG)
Conforme ilustrado na figura abaixo, um bloco de 1 kg é liberado a partir do repouso em um ponto A de uma descida, situado a uma altura H de 8 m. O bloco desliza para baixo passando no ponto B com uma velocidade de 2 m/s. O trabalho realizado pela força de atrito que atua sobre este bloco durante o percurso do ponto A até B é:
(Adote aceleração da gravidade g = 10 m/s2)
a) -78 J
b) -80 J
c) 78 J
d) 80 J


Exercício 14:
(UDESC-SC)
A figura mostra um projétil de massa 20 g se aproximando com uma velocidade constante V de um bloco de madeira de 2,48 kg que repousa na extremidade de uma mesa de 1,25 m de altura. O projétil atinge o bloco e permanece preso a ele. Após a colisão, ambos caem e atingem a superfície a uma distância horizontal de 2,0 m da extremidade da mesa, conforme mostra a figura. Despreze o atrito entre o bloco de madeira e a mesa.


Assinale a alternativa que contém o valor da velocidade V do projétil antes da colisão.
a) 0,50 km/s
b) 1,00 km/s
c) 1,50 km/s
d) 0,10 km/s
e) 0,004 km/s

Exercício 15:
(UFAC)
Na trajetória elíptica de um planeta, o ponto mais distante do Sol é chamado de Afélio e o mais próximo de Periélio. Além disso, o movimento dos planetas, ao redor do Sol, acontece respeitando as três leis de Kepler, as quais são:

1ª lei: "As trajetórias descritas pelos planetas, ao redor do Sol, são elipses com o Sol em um dos focos".

2ª lei: "O raio vetor que liga um planeta ao Sol descreve áreas iguais, em tempos iguais".

3ª lei: "Os quadrados dos períodos de revolução, de dois planetas quaisquer, estão, entre si, assim como os cubos de suas distâncias médias ao Sol".

Considerando que os períodos de revolução de dois planetas sejam T1  e T2, e que suas distâncias médias ao Sol sejam R1 e R2 , respectivamente, a terceira lei pode ser descrita pela relação:


Nesse sentido, pelas leis de Kepler, a afirmação verdadeira é:

a) Os planetas se movimentam mais rapidamente nas vizinhanças do Afélio do que nas do Periélio.
b) Os planetas têm a mesma velocidade média nas vizinhanças do Afélio e do Periélio.
c) Um dado planeta pode ter um movimento mais rápido no Afélio do que no Periélio, ou vice-versa, porque isso só dependerá do próprio planeta.
d) Sendo o período de revolução do Planeta Mercúrio de 0,241 anos, pode-se dizer que T2/R3 é 2,734 (anos)2/(U.A.)3, onde 1 U.A. é a distância média entre o Sol e a Terra.
e) Os planetas se movimentam mais rapidamente no Periélio do que no Afélio.

Exercício 16:
(UEA)
Considere as afirmações a respeito dos fenômenos e das leis da gravitação:

I. Se um planeta A tem o dobro da massa de outro planeta B, o campo gravitacional em sua superfície será duas vezes mais intenso do que o campo gravitacional na superfície de B, independentemente de seus raios.
II. A intensidade da força gravitacional entre dois astros não se altera, se dobrarmos a massa de um deles, e, ao mesmo tempo, dobrarmos também a distância entre seus centros.
III. No sistema solar, quanto maior a distância média do planeta ao Sol, maior é seu período de translação ao redor dele.
IV. Em seu movimento orbital ao redor da Terra, um satélite artificial é mantido em trajetória circular devido exclusivamente à força gravitacional exercida pela Terra sobre ele.

É correto apenas o contido em:

(A) I e IV.
(B) II e III.
(C) III e IV.
(D) I, II e III.
(E) I, II e IV.

Exercício 17:
(UEA)
Em um jogo de bolinhas de gude, após uma pontaria perfeita, um garoto lança uma bolinha A de massa 10 g, que rola com velocidade constante de 1,5 m/s sobre o solo horizontal, em linha reta, no sentido da direita. Ela choca-se frontalmente contra outra bolinha B, de massa 20 g que estava parada. Devido ao impacto, a bolinha B parte com velocidade de 1 m/s, para a direita.


Pode-se afirmar que, após a colisão, a bolinha A
(A) permanece parada na posição da colisão.
(B) continua movendo-se para a direita, com velocidade de módulo 0,25 m/s.
(C) continua movendo-se para a direita, com velocidade de módulo 0,50 m/s.
(D) passa a se mover para a esquerda, com velocidade de módulo 0,50 m/s.
(E) passa a se mover para a esquerda, com velocidade de módulo 0,25 m/s.

Exercício 18:
(Unimontes-MG)
Uma massa esférica de 100 kgf de peso é colocada entre dois objetos, como mostrado na figura abaixo. As forças exercidas pela superfície do triângulo e do retângulo, em kgf, sobre a esfera, são, respectivamente,


A) 200, 100/3.
B) 200/3, 100/3.
C) 100/3, 200.
D) 200, 300/3.

Exercício 19:
(UFU-MG)
O sistema abaixo está em equilíbrio. 


A barra AB tem peso desprezível. O momento da força de tração, que o fio CD exerce na barra, em relação à articulação A é:
a) zero
b) 4,5 N.m
c) 7,5 N.m                                     
d) 9,0 N.m
e) 15 N.m

Exercício 20:
(Mackenzie-SP)
Em uma experiência, a barra homogênea, de seção reta constante e peso 100 N é suspensa pelo seu ponto C, por um fio ideal, e mantida em equilíbrio como mostra a figura. Nas extremidades da barra, são colocados os corpos A e B. sabe-se que o peso do corpo B é 80 N. A tração no fio que sustenta essa barra tem intensidade:


a) 650 N
b) 550 N
c) 500 N
d) 420 N
e) 320 N

domingo, 29 de dezembro de 2013

Arte do Blog

O maneirismo foi uma movimento artístico que surgiu e se desenvolveu em Roma entre 1520 e 1610, contrapondo-se ao modelo vigente da antiguidade clássica. Uma característica marcante do movimento é a atenção aos detalhes. O artista que apresentamos hoje é o pintor holandês Joachim Wtewael, um dos maiores representantes do maneirismo nos países baixos.
  
Mulher vendendo vegetais
Joachim Wtewael

Joachim Anthonisz Wtewael (Utrecht, 1566 - Utrecht, 1638) foi um notável pintor, desenhista e gravurista) holandês. Wtewael (cujo sobrenome é por vezes grafado Uytewael) iniciou a sua carreira fazendo gravuras em vidro com seu pai em sua terra natal, na cidade de Utrecht. Em 1586, ele começou uma viagem de seis anos pela Europa, especificamente por França e Itália, onde permaneceu principalmente em Pádua, onde começou a produzir as suas internacionalmente renomadas pinturas.

Autorretrato
x
De volta a Utrecht, em 1592, aos vinte e cinco anos de idade, Wtewael se afiliou a uma guilda (associação de artesãos ou profissionais) na qualidade profissional de pintor e começou a produzir pinturas, desenhos, gravuras e vitrais. Ele foi um dos últimos pintores a ater-se firmemente ao maneirismo naquele país, ignorando o naturalismo que se tornara prevalente.

Batismo de Cristo

Wtewael tornou-se o líder dos proponentes neerlandeses do maneirismo. Seu estilo distinto e charmosamente artificial, que permaneceu intocado pelos desenvolvimentos naturalísticos emergentes e sendo estabelecidos em sua volta, mantendo características como cores acídicas e contendo figuras elegantes em poses intencionalmente distorcidas. A melhor coleção de seu trabalho, contendo um autoretrato (datado em 1601), se encontra no Centraal Museum de Utrecht.

Pagamento de impostos

Wtewael morreu em Utrecht em 01 agosto de 1638, depois de ter sobrevivido a sua esposa, Christian van Halen, por nove anos. Ele teve quatro filhos, um dos quais, Pedro, era um pintor que trabalhava em seu estilo.

Esaú e Jacó

Clique aqui para saber mais.

sábado, 28 de dezembro de 2013

Especial de Sábado

Um pouco da História da Física

Borges e Nicolau

Olá pessoal. Já apresentamos breves biografias de Isaac Newton, Nicolau Copérnico, Galileu Galilei, Robert Hooke, Johannes Kepler, Arquimedes, Stevin e TorricelliHoje vamos falar um pouco de Pascal. Aproveitamos para ressaltar a professores e alunos que é da maior importância ampliar as biografias e destacar fatos que apresentem dados interessantes da vida dessas pessoas notáveis que estamos mostrando. Aceitamos colaborações.



Para saber mais clique aqui.

No próximo sábado: Bernoulli.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Caiu no vestibular

Estrela natalina

(UNIFESP)
Para compor sua decoração de Natal, um comerciante decide construir uma estrela para pendurar na fachada de sua loja. Para isso, utilizará um material que, quando percorrido por corrente elétrica, brilhe emitindo luz colorida. Ele tem à sua disposição barras de diferentes cores desse material, cada uma com resistência elétrica constante R = 20 Ω.



Utilizando dez dessas barras ele montou uma estrela e conectou os pontos A e B a um gerador ideal de força eletromotriz constante e igual a 120 V.



Considerando desprezíveis as resistências elétricas dos fios utilizados e das conexões feitas, calcule:

a) a resistência equivalente, em ohms, da estrela.
b) a potência elétrica, em watts, dissipada em conjunto pelas pontas de cores laranja (CAD), azul (DEF) e vermelha (FBG) da estrela, quando ela se encontrar acesa.

Resolução:

a)


b)
U = R1.i1 => 120 = 80.i1  => i1 = 1,5 A
U = R2.i2 => 120 = 120.i2  => i2 = 1 A

Pot = Pot laranja + Pot azul + Pot vermelha
Pot = (20.1,52 + 20.12) + (40.1,52) + (20.1,52 + 20.12)
Pot = 65W + 90W + 65W => Pot = 220 W2

Respostas:

a) 48 Ω 
b) laranja: 65 W 
xxxazul: 90 W
xxxvermelha: 65 W
xxxPotência do conjunto: 220 W