quinta-feira, 31 de julho de 2014

Caiu no vestibular

Para hoje temos:

1) Equação de Gauss / Aumento linear transversal
2) Associação de capacitores em série


Exercício 1:

(UNESP)
Para observar uma pequena folha em detalhes, um estudante utiliza uma lente esférica convergente funcionando como lupa. Mantendo a lente na posição vertical e parada a 3 cm da folha, ele vê uma imagem virtual ampliada 2,5 vezes.



Considerando válidas as condições de nitidez de Gauss, a distância focal, em cm, da lente utilizada pelo estudante é igual a

a) 5.        b) 2.        c) 6.
        d) 4.        e) 3.

Resolução:


Aumento linear transversal:

A = -p’/p => 2,5 = -p’/3 => p’ = -7,5 cm

Equação de Gauss:

1/f = 1/p + 1/p’ => 1/f = 1/3 + 1/-7,5 => 1/f = (2,5 – 1)/7,5 = > f = 5 cm


Resposta: a 

Exercício 2:

(Unicamp)
O sistema de imagens street view disponível na internet permite a visualização de vários lugares do mundo através de fotografias de alta definição, tomadas em 360 graus, no nível da rua.

a) Em uma câmera fotográfica tradicional, como a representada na figura abaixo, a imagem é gravada em um filme fotográfico para posterior revelação. A posição da lente é ajustada de modo a produzir a imagem no filme colocado na parte posterior da câmera. Considere uma câmera para a qual um objeto muito distante fornece uma imagem pontual no filme em uma posição p’ = 5 cm. O objeto é então colocado mais perto da câmera, em uma posição p = 100 cm, e a distância entre a lente e o filme é ajustada até que uma imagem nítida real invertida se forme no filme, conforme mostra a figura.
Obtenha a variação da posição da imagem p’ decorrente da troca de posição do objeto.



b) Nas câmeras fotográficas modernas, a captação da imagem é feita normalmente por um sensor tipo CCD (Charge Couple Device). Esse tipo de dispositivo possui trilhas de capacitores que acumulam cargas elétricas proporcionalmente à intensidade da luz incidente em cada parte da trilha. Considere um conjunto de 3 capacitores de mesma capacitância C = 0,6 pF, ligados em série conforme a figura abaixo. Se o conjunto de capacitores é submetido a uma diferença potencial U = 5,0 V, qual é a carga elétrica total acumulada no conjunto?



Resolução:


a) Estando o objeto muito distante, a imagem se forma no foco principal imagem. Assim, temos f = p’ = 5,0 cm.

Estando o objeto a uma distância p = 100 cm da lente, a nova posição p’ da imagem é calculada pela equação de Gauss:

1/f = 1/p + 1/p’ => 1/5,0 = 1/100 + 1/p’ => 1/p’ = ( 20 -1)/100 => p’ ≅ 5,26 cm

A variação da posição da imagem p’ decorrente da troca de posição do objeto é dada pela diferença entre os dois valores de p’:

5,26 cm – 5,0 cm = 0,26 cm.

b) A capacitância do capacitor equivalente é dada por:

Cequiv = C/3 = 0,6pF/3 = 0,2 pF

A carga total armazenada pela associação é a carga elétrica do capacitor equivalente e é dada por:

Q =
Cequiv x U => Q = 0,2pF x 5,0V => Q = 1,0 pC

Resposta:
a) Aproximadamente 0,26 cm
b) 1,0 pC


Próxima semana:
1) Microscópio composto
2) Luneta Astronômica

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Cursos do Blog - Eletricidade

Foto: www.africa21online.com

20ª aula
Associação de Resistores

Borges e Nicolau

Resumo:
Vimos nas aulas anteriores o conceito de resistor, a lei de Ohm, a potência dissipada por um resistor e a grandeza resistividade.

Resistor é um elemento de circuito que consome energia elétrica e a transforma em energia térmica. Dizemos que um resistor dissipa energia elétrica.

Os resistores são utilizados como aquecedores em chuveiros elétricos, torneiras elétricas, ferros de passar roupa, torradeiras elétricas, etc. Eles são também usados para limitar a intensidade da corrente elétrica que passa por determinados componentes eletrônicos. É claro que nestas utilizações a finalidade não é dissipar energia elétrica, como ocorre nos aquecedores.

Lei de Ohm 

Mantida a temperatura constante, a ddp aplicada a um resistor é diretamente proporcional à intensidade da corrente elétrica que o atravessa. 

U = R . i 

Clique para ampliar

Os resistores que obedecem a Lei de Ohm são denominados resistores ôhmicos.

Gráfico U x i (curva característica)

Para um resistor ôhmico o gráfico da ddp U em função da intensidade da corrente elétrica i é uma reta inclinada em relação aos eixos passando pela origem:

Clique para ampliar

Potência elétrica dissipada por um resistor

P = U.i
 

P = R.i2

P = U2/R

Resistividade
 

R = ρ.L/A

A constante de proporcionalidade ρ depende do material que constitui o resistor e da temperatura, sendo denominada resistividade do material.
 

a) Associação em série

Clique para ampliar

Entre os terminais A e B vamos aplicar uma ddp U. É possível substituir toda associação por um só resistor que produz o mesmo efeito. É o resistor equivalente.

Na associação em série:

1) Todos os resistores são percorridos pela mesma intensidade de corrente i, inclusive o equivalente.

2) A ddp em cada resistor é diretamente proporcional à sua resistência elétrica:
xxxxxxxxxxxxxxx U1 = R1.i
xxxxxxxxxxxxxxx U2 = R2.i
xxxxxxxxxxxxxxx U3 = R3.i

3) A potência elétrica dissipada em cada resistor é diretamente proporcional à sua resistência elétrica:
xxxxxxxxxxxxxxx P1 = R1.i2
xxxxxxxxxxxxxxx P2 = R2.i2
xxxxxxxxxxxxxxx P3 = R3.i2

4) A ddp total é a soma das ddps parciais:
xxxxxxxxxxxxxxx U = U1 + U2 + U3

5) A resistência equivalente é igual à soma das resistências associadas
xxxxxxxxxxxxxxx RS = R1 + R2 + R3

b) Associação em paralelo

Clique para ampliar

Na associação em paralelo:

1) Todos os resistores são submetidos à mesma ddp U, inclusive o equivalente.

2) A intensidade da corrente que percorre cada resistor é inversamente  proporcional à sua resistência elétrica:
xxxxxxxxxxxxxxx i1 = U/R1
xxxxxxxxxxxxxxx i2 = U/R2
xxxxxxxxxxxxxxx i3 = U/R3

3) A potência elétrica dissipada em cada resistor é inversamente proporcional à sua resistência elétrica:
xxxxxxxxxxxxxxx P1 = U2/R1
xxxxxxxxxxxxxxx P2 = U2/R2
xxxxxxxxxxxxxxx P3 = U2/R3

4) A intensidade da corrente total é a soma das intensidades das correntes nos resistores associados:
xxxxxxxxxxxxxxx i = i1 + i2 + i3

5) O inverso da resistência equivalente é igual à soma dos inversos das resistências associadas:
xxxxxxxxxxxxxxx 1/RP = 1/R1 + 1/R2 + 1/R3

Exercícios básicos

Exercício 1:
Considere a associação de resistores esquematizada abaixo e submetida a uma ddp de 24 V.


Determine:
a) a resistência equivalente entre os terminais A e B;
b) a intensidade da corrente que percorre cada resistor;
c) a ddp em cada resistor;
d) qual resistor dissipa a maior potência.


Resolução: clique aqui 

Exercício 2:
Considere a associação de resistores esquematizada abaixo e submetida a uma ddp de 24 V.


Determine:
a) a resistência equivalente entre os terminais A e B;
b) a  ddp em cada resistor;
c) a intensidade da corrente que percorre cada resistor;
d) qual resistor dissipa a maior potência. 

Resolução: clique aqui 

Determine a resistência equivalente entre os terminais A e B, das associações esquematizadas abaixo. Dê as respostas em função de R.

Exercício 3:
 

Resolução: clique aqui

Exercício 4:


Resolução: clique aqui

Exercício 5:


Resolução: clique aqui

Exercício 6:


Resolução: clique aqui

Exercício 7:


Resolução: clique aqui

Exercícios de revisão

Revisão/Ex 1:
(UNEMAT)
Considere o circuito elétrico abaixo.



Assinale a alternativa INCORRETA.


a. A resistência equivalente à associação é de 6
Ω
b. A potência dissipada pela associação é de 24 watts.
c. A ddp (diferença de potencial) em
R1 é menor que a ddp em R2.
d. As resistências elétricas
R1 e R2 serão percorridas pela mesma corrente elétrica, cujo valor é de 2 A.
e. A potência dissipada no resistor
R1 é maior que a potência dissipada em R2.

Resolução: clique aqui 

Revisão/Ex 2:
(UFAL)
No circuito elétrico a seguir, a corrente elétrica no resistor ôhmico de resistência 1
Ω vale:


A) 1 A
B) 2 A
C) 3 A
D) 4 A
E) 5 A


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 3:
(Unifesp)
Os circuitos elétricos A e B esquematizados, utilizam quatro lâmpadas incandescentes L idênticas, com especificações comerciais de 100 W e de 110 V, e uma fonte de tensão elétrica de 220 V. Os fios condutores, que participam dos dois circuitos elétricos, podem ser considerados ideais, isto é, têm suas resistências ôhmicas desprezíveis.



a) Qual o valor da resistência ôhmica de cada lâmpada e a resistência ôhmica equivalente de cada circuito elétrico?
b) Calcule a potência dissipada por uma lâmpada em cada circuito elétrico, A e B, para indicar o circuito no qual as lâmpadas apresentarão maior iluminação.


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 4:
(UNESP)
Três resistores, de resistências elétricas R
1, R2 e R3, um gerador G e uma lâmpada L são interligados, podendo formar diversos circuitos elétricos. Num primeiro experimento, foi aplicada uma tensão variável V aos terminais de cada resistor e foi medida a corrente i que o percorria, em função da tensão aplicada. Os resultados das medições estão apresentados no gráfico, para os três resistores.


Considere agora os circuitos elétricos das alternativas abaixo. Em nenhum deles a lâmpada L queimou. A alternativa que representa a situação em que a lâmpada acende com maior brilho é


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 5:
(UFLA-MG)
O circuito elétrico ao lado apresenta uma associação mista de lâmpadas incandescentes, com os valores de suas resistências elétricas considerados constantes. O circuito é alimentado por uma fonte ideal (resistência interna nula) de 148 V.



Calcule:


a) A corrente total cedida pela fonte ao circuito.
b) A corrente elétrica que alimenta a lâmpada de 30 Ω (L
2).
c) A lâmpada que apresenta maior luminosidade é aquela que dissipa maior potência. Mostre qual delas apresenta maior luminosidade.


Resolução: clique aqui

terça-feira, 29 de julho de 2014

Cursos do Blog - Termologia, Óptica e Ondas

 
Foto: Nicolau G.Ferraro
 
20ª aula
Óptica Geométrica
x
Borges e Nicolau
x
A Óptica Geométrica estuda a propagação da luz nos diferentes meios e os fenômenos que dela decorrem: a reflexão e a refração. Este estudo é feito a partir da noção de raio de luz e de princípios fundamentais.
x
Raios de luz. Feixe de luz 

Para representar que a luz emitida pela chama de uma vela atinge a vista de um observador, utilizamos linhas orientadas que fornecem  a direção e o sentido de propagação da luz. Tais linhas são chamadas raios de luz.


Um conjunto de raios de luz é chamado feixe de luz. Este pode ser convergente, divergente ou de raios paralelos.


Meios transparentes, translúcidos e opacos
 

Os meios através dos quais os objetos podem ser vistos nitidamente são chamados transparentes. Ao atravessar um meio transparente a luz percorre trajetórias regulares e bem definidas. O ar atmosférico existente numa sala e a água em camadas pouco espessas, são exemplos de meios transparentes.
Os meios através dos quais os objetos não podem ser vistos nitidamente são chamados translúcidos. O papel de seda e o vidro fosco são exemplos de meios translúcidos. Ao atravessar um meio translúcido a luz percorre trajetórias irregulares e indefinidas.
Os meios que não permitem que a luz os atravesse são chamados opacos. É o caso de uma parede de concreto.
 

Observação: Um meio é homogêneo quando apresenta as mesmas propriedades em todos os seus pontos.

A velocidade de propagação da luz
 

Todas as luzes, monocromáticas (isto é, luzes de uma só cor) ou policromáticas (luzes constituídas pela superposição de luzes de cores diferentes, como a luz solar branca) propagam-se no vácuo com a mesma velocidade que é aproximadamente igual a 3,0.105 km/s.
Nos meios materiais homogêneos e transparentes a velocidade de propagação da luz é menor que no vácuo e seu valor depende da cor da luz que se propaga. Num meio material, a luz monocromática vermelha apresenta a maior velocidade de propagação e a violeta, a menor. As luzes das demais cores apresentam velocidades de propagação intermediárias. Na ordem decrescente de velocidade: luz vermelha, alaranjada, amarela, verde azul, anil e violeta.


Ano-Luz

Um ano-luz é a distância que a luz percorre no vácuo durante um ano terrestre. Vamos transformar em quilômetros o comprimento equivalente a um ano-luz.
Sendo c = 3,0.
105 km/s a velocidade de propagação da luz no vácuo e 
Δt = 1 ano terrestre = 365,2 dias = 365,2.24.3600 s 3,16.107 s, 
de d = c.Δt, vem: 
                                  
1 ano-luz = 3,0.
105 km/s.3,16.107 s
1 ano-luz
9,5.1012 km
 

Princípios da Óptica Geométrica

a) Princípio da propagação retilínea
 

Nos meios homogêneos e transparentes a luz se propaga em linha reta
 

b) Princípio da independência dos raios de luz
 

Quando raios de luz se cruzam, cada um segue sua propagação como se os outros não existissem
 

Observações: As leis da reflexão e refração são consideradas princípios no estudo da Óptica Geométrica. Estas leis serão analisadas nos próximos capítulos. 

Como decorrência dos princípios anteriores, podemos enunciar a reversibilidade da luz:
 

A trajetória seguida pela luz, não depende do sentido de propagação

Exercícios básicos
 

Exercício 1:
Analise as afirmações abaixo e indique as corretas:
a) O ar atmosférico de uma sala é um meio transparente.
b) A água em camadas espessas é um meio transparente.
c) O vidro fosco é um meio translúcido.
d) A atmosfera terrestre, cuja densidade diminui com o aumento da altitude, é um meio homogêneo.
e) Nos meios transparentes e translúcidos a luz se propaga em linha reta.

Resolução: clique aqui


Exercício 2:
Um ano-luz tem a dimensão de:
a) tempo; b) velocidade; c) aceleração; d) comprimento; e) energia.

Resolução: clique aqui

Exercício 3:
Uma estrela está situada a 4 anos-luz da Terra. Qual a distância entre a estrela e a Terra em quilômetros?
x
Resolução: clique aqui

Exercício 4:
O holofote A ilumina o artista situado no lado direito. Desliga-se A e liga-se o holofote B iluminando o artista situado no lado esquerdo. A seguir, ligam-se os dois holofotes e os feixes se cruzam. Os artistas ficam iluminados? Em que princípio da Óptica Geométrica você baseou sua resposta?



Resolução: clique aqui 

Exercício 5:
Tem-se uma associação de espelhos planos. Um raio de luz incide no espelho
E1 e segue a trajetória ABCD, emergindo do espelho E2.


Represente a trajetória da luz que incide no espelho E2, segundo o raio DC. Em que fato da Óptica Geométrica você baseou sua resposta?


Resolução: clique aqui

Exercícios de revisão

Revisão/Ex 1:
(Uniube-MG)
Considere as proposições:

I. No vácuo, a luz propaga-se em linha reta.
II. Em quaisquer circunstâncias, a luz propaga-se em linha reta.
III. Nos meios transparentes e homogêneos, a luz propaga-se em linha reta.
IV. Para que a luz se propague em linha reta, é suficiente que o meio seja transparente.

Responda mediante o código:

a) Se somente I for correta
b) Se somente I e III forem corretas
c) Se somente II e III forem corretas
d) Se todas forem corretas
e) Se todas forem erradas.


Resolução: clique aqui 

Revisão/Ex 2:
(Unitau-SP)
Dois raios de luz, que se propagam num meio homogêneo e transparente, se interceptam num certo ponto. A partir deste ponto, pode-se afirmar que:

a) os raios luminosos se cancelam.
b) mudam a direção de propagação.
c) continuam se propagando na mesma direção e sentido que antes.
d) se propagam em trajetórias curvas.
e) retornam em sentido opostos.


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 3:
(PUC-Campinas-SP)
Andrômeda é uma galáxia distante 2,3.1
06 anos-luz da Via Láctea, a nossa galáxia. A luz proveniente de Andrômeda, viajando à velocidade de 3,0.105 km/s, percorre a distância aproximada até a Terra, em km, igual a:

a) 4.1
015.
b) 6.1
017.
c) 2.1
019.
d) 7.1
021.
e) 9.1
023.

Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 4:
(UEL-PR)
Considere as seguintes afirmativas:

I. A água pura é um meio translúcido.
II. O vidro fosco é um meio opaco.
III. O ar é um meio transparente.

Sobre as afirmativas acima, assinale a alternativa correta:

a) apenas a afirmativa I é verdadeira.
b) apenas a afirmativa II é verdadeira.
c) apenas a afirmativa III é verdadeira.
d) apenas as afirmativas I e a III são verdadeiras.
e) apenas as afirmativas II e a III são verdadeiras.


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 5:
(FUVEST)
No mês de agosto de 1988, o planeta Marte teve a máxima aproximação da Terra. Nesse dia as pessoas, ao observarem o planeta, estavam vendo a luz emitida pelo Sol algum tempo antes. Aproximadamente quanto tempo antes? Considere as órbitas da Terra e de Marte circulares e coplanares, com raios de 150.000.000 km e 231.000.000 km, respectivamente.
Dado: velocidade da luz: 300.000 km/s.

a) 81 anos-luz
b) 2 horas
c) 30 segundos
d) 8 minutos
e) 17 minutos


Resolução: clique aqui

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Cursos do Blog - Mecânica

 Foto: www.wisegeek.org


20ª aula
O que a Dinâmica estuda? 

Borges e Nicolau

Vimos que a Cinemática é o ramo da Física que descreve os movimentos, determinando a posição, a velocidade e a aceleração de um corpo em cada instante. A Dinâmica estuda os movimentos dos corpos e as causas que os produzem ou os modificam.

As Leis de Newton

Isaac Newton, em sua obra “Princípios Matemáticos da Filosofia Natural”, enunciou as três leis fundamentais do movimento, conhecidas hoje como Leis de Newton. Sobre elas se estrutura a Dinâmica.
x
Primeira Lei de Newton ou Princípio da Inércia
x
Um ponto material é chamado isolado quando não existem forças atuando nele ou quando as forças aplicadas ao ponto têm resultante nula. 

A primeira Lei de Newton estabelece que:
x
Um ponto material isolado ou está em repouso ou realiza movimento retilíneo uniforme.

Desta lei resulta o conceito dinâmico de força: 

Força é a causa que produz num corpo variação de velocidade e, portanto, aceleração.
 
A seguir, apresentamos a primeira lei em sua formulação original:

Todo corpo continua em seu estado de repouso ou movimento uniforme em uma linha reta, a menos que ele seja obrigado a mudar aquele estado por forças imprimidas sobre ele.

Inércia

A tendência de um corpo de manter seu estado de repouso ou de movimento retilíneo com velocidade constante é chamada inércia. Por isso, a primeira lei de Newton é também chamada princípio da inércia.

Um corpo em repouso tende, por inércia, a permanecer em repouso. Um corpo em movimento tende, por inércia, a continuar em movimento, mantendo constante sua velocidade vetorial.

Exemplos:


Quando o ônibus freia, os passageiros tendem, por inércia, a prosseguir com a velocidade que tinham, em relação ao solo. Assim, são atirados para frente em relação ao ônibus.



Quando o ônibus parte, os passageiros  tendem, por inércia, a permanecer em repouso, em relação  ao solo. Assim, são atirados para trás em relação ao ônibus.

Os referenciais em relação aos quais vale o princípio da inércia são chamados referenciais inerciais.

Animação sobre o princípio da inércia: clique aqui

Exercícios básicos

Exercício 1:
Analise as afirmações abaixo e indique as corretas:
a) Pode haver movimento mesmo na ausência de forças.
b) A resultante das forças que agem num corpo é nula. Necessariamente o corpo está em repouso.
c) Um corpo realiza um movimento retilíneo e uniforme sob ação de duas forças
F1 e F2. Estas forças têm mesma direção, mesma intensidade e sentidos opostos.
d) Um corpo em repouso tende, por inércia, a permanecer em repouso.

Resolução: clique aqui

Exercício 2:
Um cavalo, em pleno galope, para bruscamente. Explique por que o cavaleiro é projetado para frente.


Resolução: clique aqui

Exercício 3:
Quatro pontos materiais estão em movimento sob ação de forças indicadas nas figuras. Todas as forças têm mesmo módulo. Quais partículas realizam MRU?

Clique para ampliar

Resolução: clique aqui

Exercício 4:
Uma pequena esfera realiza um movimento circular uniforme numa mesa horizontal lisa, no sentido anti-horário. Ao passar pela posição P, o fio que mantém a esfera em trajetória circular se rompe.


Esquematize a trajetória realizada pela esfera após o rompimento do fio?

Resolução: clique aqui

Exercício 5:
O uso do cinto de segurança nos automóveis previne lesões graves no motorista e nos passageiros, durante uma colisão. Explique a função deste equipamento?
x
Resolução: clique aqui

Exercícios de revisão

Revisão/Ex 1:
(Vunesp)
Assinale a alternativa que apresenta o enunciado da Lei da Inércia, também conhecida como Primeira Lei de Newton.

a) Qualquer planeta gira em torno do Sol descrevendo uma órbita elíptica, da qual o Sol ocupa um dos focos.
b) Dois corpos quaisquer se atraem com uma força proporcional ao produto de suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distância entre eles.
c) Quando um corpo exerce uma força sobre outro, este reage sobre o primeiro com uma força de mesma intensidade e direção, mas de sentido contrário.
d) A aceleração que um corpo adquire é diretamente proporcional à resultante das forças que nele atuam, e tem mesma direção e sentido dessa resultante.
e) Todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma linha reta, a menos que sobre ele estejam agindo forças com resultante não nula.


Resolução: clique aqui 

Revisão/Ex 2:
(Vunesp)
As estatísticas indicam que o uso do cinto de segurança deve ser obrigatório para prevenir lesões mais graves em motoristas e passageiros no caso de acidentes. Fisicamente, a função do cinto está relacionada com a:

a) Primeira Lei de Newton;
b) Lei de Snell;
c) Lei de Ampère;
d) Lei de Ohm;
e) Primeira Lei de Kepler.


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 3:
(UFF)
Abaixo estão representadas as forças, de mesmo módulo, que atuam numa partícula em movimento, em três situações. É correto afirmar que a partícula está com velocidade constante:

a) apenas na situação 1
b) apenas na situação 2
c) apenas nas situações 1 e 3
d) apenas nas situações 2 e 3
e) nas situações 1,2 e 3.



Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 4:
(PUC-SP)
No arremesso de peso, um atleta gira um corpo rapidamente e depois o abandona. Se não houver influência da Terra e desprezando a resistência do ar, a trajetória do corpo após abandonado pelo atleta seria:

a) circular.
b) parabólica.
c) curva qualquer.
d) retilínea.
e) espiral.


Resolução: clique aqui

Revisão/Ex 5:
(U.Uberaba-MG)
Coloca-se um cartão sobre um copo e uma moeda sobre o cartão. Puxando-se bruscamente o cartão, a moeda cai no copo.



O fato descrito ilustra:

a) inércia.
b) aceleração.
c) atrito.
d) ação e reação.
e) nenhuma das anteriores.


Resolução: clique aqui

domingo, 27 de julho de 2014

Arte do Blog


Oskar Schlemmer

Oskar Schlemmer foi um pintor alemão nascido em 4 de setembro de1888, em Stuttgart. Schlemmer estudou design gráfico aplicado em uma oficina de marchetaria em Stuttgart (1903-1905). Entre 1906 e 1910 estudou por um semestre na escola de Artes Aplicadas de Stuttgart e, em seguida, recebeu uma bolsa de estudos para a Akademie der bildende Künste (Academia de arte). Entre 1911 e 1912 Schlemmer trabalhou como pintor freelance em Berlim e fez contato com a galeria de Herwarth Walden, Der Sturm. Em 1912 , ele voltou para Stuttgart e se tornou um dos estudantes de mestrado de Adolf Holzel.

  
Em janeiro de 1921 Schlemmer foi nomeado por Walter Gropius como um dos primeiros mestres na Staatliches Bauhaus em Weimar. Como mestre da forma, ele inicialmente dirigiu o departamento de pintura de parede (alternando com Johannes Itten) e o workshop de escultura em pedra. De 1922 a 1923, dirigiu a oficina de escultura em pedra e ensinou desenho de modelos vivos.


Para a exposição Bauhaus realizada em Weimar, em 1923, Schlemmer contribuiu significativamente para as áreas de design de parede, pintura, escultura, impressão gráfica, publicidade e do palco. De 1923 a 1929, ele foi chefe da oficina de estágio na Bauhaus em Weimar e Dessau. Em 1927/28, ensinou desenho e ofereceu seu curso Der Mensch (o ser humano) a partir de 1928. Schlemmer deixou a Bauhaus em 11 de julho de 1929.


Em 1937, a primeira exposição individual do trabalho de Schlemmer foi realizada na galeria de Londres. Embora tenha se tornado membro do Reichskulturkammer (Seção de Cultura do Reich), sua obra foi denunciado como "arte degenerada". Em 1940 ele montou um laboratório para ensaios com tecnologia de laca, na fábrica de laca de Kurt Herbert em Wuppertal, onde muitos de seus colegas, como Willi Baumeister, Gerhard Marcks e Georg Muche, também trabalharam.

Oskar Schlemmer faleceu em 13 de abril de 1943, na cidade de Baden-Baden.


 Clique aqui para saber mais

sábado, 26 de julho de 2014

Especial de Sábado

Um pouco da História da Física

Borges e Nicolau

Olá pessoal. Já apresentamos breves biografias de Isaac Newton, Nicolau Copérnico, Galileu Galilei, Robert Hooke, Johannes Kepler, Arquimedes, Stevin, Torricelli, Pascal, Bernoulli, Fahrenheit, Celsius, Kelvin, Gauss, Joule, Carnot, Watt, Clapeyron, Clausius, Boltzmann, Coulomb, Ampère, Ohm, Pouillet, Volta, Wheatstone, Kirchhoff, Oersted, Faraday, Lenz, Tesla, Thomas Edison, Marconi, Roberto Landell de Moura, Maxwell, Röntgen e Rutherford e Bohr. Hoje vamos falar um pouco de Planck. Aproveitamos para ressaltar a professores e alunos que é da maior importância ampliar as biografias e destacar fatos que apresentem dados interessantes da vida dessas pessoas notáveis que estamos mostrando. Aceitamos colaborações.


Para saber mais clique aqui.

No próximo sábado: Einstein