segunda-feira, 26 de junho de 2017

Cursos do Blog - Simulado de Mecânica

Esta prova foi preparada especialmente para você que segue o nosso curso. Resolva as questões e avalie o seu aproveitamento. Sucesso! 

A resolução será publicada na próxima semana.

Borges e Nicolau


Questão 1:
(FATEC-SP)
Em 2013, Usain Bolt, atleta jamaicano, participou de um evento na cidade de Buenos Aires (Argentina). Ele tinha como desafio competir em uma corrida de curta distância contra um ônibus. A prova foi reduzida de 100 m para 80 m devido à aceleração final impressa pelo ônibus. Depois do desafio, verificou-se que a velocidade média de Bolt ficou por volta de 32 km/h e a do ônibus 30 km/h.


(http://tinyurl.com/Bolt-GazetaEsportiva. Acesso em: 26.12.2013. Original colorido)

Utilizando as informações obtidas no texto, é correto afirmar que o intervalo de tempo que Usain Bolt e o ônibus demoraram para completar a corrida, respectivamente, foi, em segundos, de

a) 6,6 e 4,1.
b) 9,0 e 9,6.
c) 6,6 e 6,6.
d) 9,6 e 9,0.
e) 4,1 e 6,6. 


Questão 2:
(IJSO)
Analise as afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta.


I. Se um avião supera a velocidade de 1.250 km/h, ele pode ser considerado supersônico.
II. A velocidade média de uma pessoa em passo normal é de 3 m/s.
III. A velocidade de um corpo em queda livre aumenta cerca de 36 km/h a cada segundo.

a) Somente a afirmativa I é correta.
b) Somente a afirmativa II é correta.
c) Somente as afirmativas I e II são corretas.
d) Somente a afirmativa I e III são corretas.
e) Todas as afirmativas são corretas.


Questão 3:
(Espcex)
Um carro está desenvolvendo uma velocidade constante de 72 km/h em uma rodovia federal. Ele passa por um trecho da rodovia que está em obras, onde a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. Após 5s da passagem do carro, uma viatura policial inicia uma perseguição, partindo do repouso e desenvolvendo uma aceleração constante. A viatura se desloca 2,1 km até alcançar o carro do infrator. Nesse momento, a viatura policial atinge a velocidade de:

a) 20 m/s     b) 24 m/s     c) 30 m/s     d) 38 m/s     e) 42 m/s


Questão 4:
(UFPel–RS)
Um automóvel parte de um posto de gasolina e percorre 400 m sobre uma estrada retilínea, com aceleração escalar constante de 0,50 m/
s2. Em seguida, o motorista começa a frear, pois ele sabe que, 500 m adiante do posto, existe um grande buraco na pista. Sabendo-se que o motorista, durante a freada do carro, tem aceleração escalar constante de -2,0 m/s2, podemos afirmar que o carro :

a) para 10 m antes de atingir o buraco;
b) chega ao buraco com velocidade escalar de 10 m/s;
c) para 20 m antes de atingir o buraco;
d) chega ao buraco com velocidade escalar de 5,0 m/s;
e) para exatamente ao chegar ao buraco. 


Questão 5:
(UFCG-PB)
As equipes de testes de automóveis de passeio costumam medir a capacidade de aceleração dos veículos em pistas retas, a partir de dados como apresentados no gráfico abaixo.



Os técnicos coletam os dados a partir de uma linha de referência, onde os carros encontram-se emparelhados, considerando aí a posição inicial e o tempo inicial. A distância entre eles no instante 10 s e suas acelerações a
A e aB, valem, respectivamente:

a) 50 m, 
aA = 1 m/s2 e aB = 2 m/s2
b) 5 m, 
aA = 2 m/s2 e aB = 2 m/s2
c) 25 m, 
aA = 4 m/s2 e aB = 1 m/s2
d) 650 m, 
aA = 1 m/s2 e aB = 4 m/s2 
e) 100 m,  aA = 4 m/s2 e aB = 4 m/s2

Questão 6:
(Vunesp)
O diagrama vetorial mostra, em escala, duas forças atuando num objeto de massa m.



O módulo da resultante dessas forças que estão atuando no objeto é, em newtons:

a) 2
b) 10
c) 4
d) 6
e) 8


Questão 7:
(UEPG-PR)
Quando dizemos que a velocidade de uma bola é de 20 m/s, horizontal e para a direita, estamos definindo a velocidade como uma grandeza:

a) escalar
b) algébrica
c) linear
d) vetorial
e) nenhuma das anteriores


Texto referente às questões 8 e 9.

Três bolas {X, Y e Z} são lançadas da borda de uma mesa, com velocidades iniciais paralelas ao solo e mesma direção e sentido.
A tabela abaixo mostra as magnitudes das massas e das velocidades iniciais das bolas.



Questão 8:
(UERJ)
As relações entre os respectivos tempos de queda t
x, ty e tz das bolas X, Y e Z
estão apresentadas em:


a)
tx < ty < tz
b)
ty < tz < tx
c) tz < ty < tx
d)
tx = ty = tz

Questão 9:
(UERJ)
As relações entre os respectivos alcances horizontais A
x, Ay e Az das bolas X, Y e Z, com relação à borda da mesa, estão apresentadas em:

a)
Ax < Ay < Az
b)
Ax = Ay = Az
c)
Az < Ay < Ax
d)
Ay < Az < Ax

Questão 10:
(UFSCAR)
O mesmo eixo que faz girar as pás de um ventilador faz com que seu corpo oscile para lá e para cá, devido à conexão de uma engrenagem pequena de 4 mm de diâmetro (pinhão) à outra grande de 40 mm de diâmetro (coroa)

.

Considerando
π = 3,1 e sabendo que o período de rotação da coroa é de 1 minuto, pode-se determinar que a hélice do ventilador, presa ao eixo do motor, gira com velocidade angular, em rad/s, aproximadamente igual a

a) 1.
b) 2.
c) 3.
d) 4.
e) 5.

domingo, 25 de junho de 2017

Arte do Blog

Swimmers - 1910

Carlo Carrá
  
Carlo Carrá nasceu em 11 de fevereiro de 1881, em Quargnento, Itália. 
Nascido em uma família de artesãos, Carrá dedica-se em seus primeiros anos ao ofício de decorador mural. De 1906-1908 estuda com Cesare Tallone na Academia de Belas Artes de Brera. É nesse período que ele conhece um outro aluno da Academia que teria grande importância em sua vida: Umberto Boccioni.
 
  The Chase - 1932

Juntos, animados pelas idéias de Marinetti, elaboram em conjunto com Russolo, Balla e Severini o que seria considerado o marco de uma nova forma de expressão nas artes plásticas: "Pintura futurista: manifesto técnico", em 1910. A pintura de Carrá, nesta época, era muito marcada por um desdobramento do pontilhismo, que adquiria em suas mãos um dinamismo veloz que seria impensável em pintores como Seurat ou Signac. Sua interpretação pessoal dos conceitos futuristas de simultaneidade e dinamismo encontrará, nas telas de 1911 a 1913, recortes e rebatimentos de vários planos sobre vários eixos, mostrando que as viagens a Paris que realizou naqueles anos deixaram algumas marcas em sua perspectiva estética.
t
Western Horseman - 1917

Em seu manifesto de 1913, "De Cézanne a nós, os futuristas", Carrá discorre sobre a complexidade desta relação: "Se acusamos os cubistas, como antes os impressionistas, de não criar obras, mas apenas fragmentos, é porque em seus quadros se sente a necessidade de um desenvolvimento ulterior e mais vasto. (...) Nossos quadros não são mais acidentais e transitórios, limitados a uma hora do dia, ou a um dia, ou a uma estação. Nós, futuristas, destruindo a unidade de tempo e lugar, trazemos à pintura uma integração de sensações que é a síntese do plástico universal". Em 1914 realiza algumas colagens e começa a se afastar do futurismo.
x
Funeral of the Anarchist Galli – 1910-11 (detail)

Conhece de Chirico em 1917 e fica entusiasmado com as novas possibilidades que a pintura metafísica poderia lhe proporcionar, pela criação de uma atmosfera ao mesmo tempo mágica e estranha através de imagens misteriosas e desconexas. Neste mesmo ano vai para o exército do qual sairá em 1919. Nos anos 20 dá a última grande guinada de sua carreira retornando de maneira acentuada a um figurativismo marcado por uma relação orgânica com a realidade natural, que o acompanhará até o fim de seus dias, onde recuperam-se referências proibidas em sua época futurista: Giotto, Masaccio, Paolo Uccello, Piero della Francesca e por fim, Cézanne. Suas telas mostram uma busca renovada de elementos estruturadores associado a uma plasticidade dos corpos que buscam um equilíbrio da composição quase arquitetural. Esta solução desgasta-se com o passar do tempo mostrando o esgotamento de suas soluções pictóricas nas telas de sua produção final. O MAC possui quatro óleos do artista, de sua época pós-metafísica. Texto de Paulo Menezes.

Carlo Carrá morreu em 13 de abril de 1966, em Milão, Itália.

Interventionist Demonstration -1914

 Clique aqui 

sábado, 24 de junho de 2017

Especial de Sábado

Ganhadores do Premio Nobel de Física

Borges e Nicolau
x
2010
Andre Geim e Konstantin Novoselov por experimentos inovadores com grafeno, material mais forte que diamante, condutor de calor e de grande flexibilidade quando misturado com plástico.

Andre Geim (1958) e  Konstantin Novoselov (1974), físicos russos


Prêmio Nobel de Física de 2010

Andre Geim e Konstantin Novoselov, ambos da Universidade de Manchester, no Reino Unido, dividiram o Prêmio Nobel de Física de 2010 pelos seus trabalhos com o grafeno. A premiação, de certa forma inesperada - o grafeno foi descoberto por eles em 2004 - mostra o reconhecimento do potencial desse novo material, que possui uma infinidade de usos possíveis, da eletrônica ao sequenciamento de DNA.


Konstantin Novoselov nasceu em 1974 em Nizhny Tagil, na Rússia. Ele foi aluno de doutorado de Andre Geim quando os dois moravam na Holanda.


Andre Geim nasceu em 1958, em Sochi, também na Rússia. Atualmente os dois trabalham na Universidade de Manchester.

Material revolucionário

O grafeno é uma estrutura plana composta unicamente por átomos de carbono. A melhor analogia para explicar sua aparência é a tradicional tela de galinheiro, onde cada "nó" da tela é um átomo de carbono.
Apesar de o carbono ser o mesmo material do carvão e do grafite dos lápis, na espessura atômica ele é transparente, o que está permitindo seu uso para telas e monitores inovadores. Ele é um excelente condutor elétrico e térmico e é altamente estável - O silício, o material com que são feitos os atuais transistores, oxida, se degrada e se torna instável quando é reduzido a dimensões 10 vezes maiores.
(Original aqui)

Saiba mais aqui

Próximo Sábado: Ganhadores do Premio Nobel de 2011: 
Saul Perlmutter, Brian P. Schmidt e Adam G. Riess por seus trabalhos sobre a expansão acelerada do Universo através da observação de estrelas supernovas distantes.