domingo, 2 de agosto de 2015

Arte do Blog

Tante-aan-het-werk - 1929

Willy Sluiter
  
John William (Willy) Sluiter mais conhecido como Willy Sluiter, foi um artista nascido em 24 de maio de 1873, em Amersfoort, Holanda. Sluiter, que destacou-se como pintor, desenhista e designer gráfico, viveu e trabalhou em diferentes lugares como Dordrecht e Rotterdam, mas também em aldeias pitorescas como Scheveningen, Katwijk e Laren. Atuante, foi membro de várias associações de arte, dentre elas a Academia de Pintura de Dordrecht, Arti et Amicitiae de Amsterdam e Pulchri Estúdio, de Haia.

 Op het terras, Scheveningen - Sem data

Sluiter estudou na Academia de Belas Artes de Roterdam entre 1891 e 1894 e, em seguida, teve aulas na Academia de Haia de Artes Visuais. Ele se tornou um conhecido ilustrador de charges políticas, fez inúmeros cartazes e ilustrações para publicidade e também foi designer de livros. Bem conhecidas são as 38 pastas de música, que desenhou, entre 1920 e 1925 para a editora Scheltens Giltay, onde ilustrou textos do poeta Clinge Doorenbos.

Elegant figures at the beach - 1902

Willy Sluiter viveu e trabalhou em Zwijndrecht, Dordrecht e Rotterdam até 1894. Em seguida, entre 1894 e 1897 e entre 1901 e 1910, em Scheveningen. Em 1910 ele se estabeleceu em Laren e lá permaneceu até 1916 quando mudou-se para Den Haag.
 
Flaneren op de Scheveningse boulevard met op de achtergond de pier - 1913
x
Os temas de seus trabalhos muitas vezes tiveram origem na vida de praia e no trabalho de pescadores. Sluiter ganhou reputação como retratista e foi muito procurado pelos endinheirados. Ele também produziu impressos e cartazes para políticos. No Museu Dordrecht, em Dordrecht, aconteceu em 1999 uma exposição de cartazes de Willy Sluiter por ocasião do quinquagésimo aniversário de sua morte. O Museu Katwijk apresentou, entre 01 de outubro de 2013 e 11 de janeiro de 2014, uma exposição de suas obras.

Willy Sluiter morreu em 22 de maio de 1949, em Haia, Holanda.

Trekpaarden op het strand van Scheveningen - 1894

 Clique aqui 

sábado, 1 de agosto de 2015

Especial de Sábado

Ganhadores do Premio Nobel de Física

Borges e Nicolau

1907 
Albert Abraham Michelson – "pela invenção do interferômetro e pelas pesquisas nos campos da espectroscopia e metrologia".
 x
Albert Abraham Michelson (1852-1931), físico estadunidense

Albert Abraham Michelson foi o primeiro cientista estadunidense a receber o premio Nobel de Física. Ao assistir uma palestra realizada por Jean Bernard Foucault sobre a determinação da velocidade de propagação da luz, ficou extremamente interessado pelo assunto. No final do século XIX acreditava-se que as ondas eletromagnéticas, a exemplo das ondas mecânicas, necessitavam de um meio material para se propagarem. Esse meio elástico, onipresente e invisível foi chamado éter luminífero. Michelson construiu um aparelho denominado interferômetro, visando verificar a existência do éter luminífero. Se o espaço sideral fosse preenchido por um “mar de éter”, a velocidade da luz deveria ser afetada pela “correnteza do éter”, resultante do movimento de translação da Terra. Em suas experiências, e com auxílio do químico estadunidense Edward Williams Morley (1838–1923), provou que nenhum efeito deve ser atribuído ao éter, não havendo razão de se considerar sua existência. A idéia da presença do éter foi abandonada, permitindo interpretar que a luz viaja a uma velocidade constante em todos os sistemas inerciais de referência. Este foi o ponto de partida da Teoria da Relatividade Especial, proposta por Albert Einstein.
 

Albert Abraham Michelson foi distinguido, em 1907, com o premio Nobel de Física.
(Fonte: Os fundamentos da Física, Volume 3)

Saiba mais. Clique aqui e aqui

Próximo Sábado: Ganhador do Premio Nobel de 1908: 
Gabriel Lippmann – por seu método de reprodução fotográfica de cores com base em fenômenos de interferência.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Caiu no vestibular

Espelho esférico convexo


(UEPG-PR) 
A figura abaixo representa um espelho esférico convexo com um objeto à sua frente. A distância do objeto ao espelho é igual a três vezes a distância focal do espelho. Com relação à imagem conjugada pelo espelho, assinale o que for correto.



01. A imagem conjugada é virtual, direta e reduzida.
02. A altura da imagem corresponde a 1/4 da altura do objeto.
04. A distância do objeto à imagem é 9/2 f.
08. A imagem está situada à direita do foco do espelho.
16. Sem conhecer o valor da distância focal do espelho, nada se pode afirmar sobre a imagem conjugada.


Resolução:
  
A imagem conjugada pelo espelho convexo é virtual, direita e menor do que o objeto. Esta imagem se forma entre o vértice e o foco do espelho.
São dados: distancia focal do espelho: f (f < 0) e p = -3f


A = i/o = f/(f-p) => i/o = f/[f-(-3f)] => i = 1/4.o

São corretas: 01 e 02.

Resposta: 3

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Férias

Exercícios escolhidos

No período das férias preparamos para você, que acompanha os nossos cursos, alguns exercícios dos vestibulares do meio do ano. Aproveite para resolver as questões e avaliar o quanto você vai precisar estudar para ter sucesso nas provas.

Corrente elétrica na atmosfera


(Unifev)

Técnicas de medidas de corrente elétrica na atmosfera

A ionização de moléculas na atmosfera produz íons que, submetidos ao campo elétrico natural da Terra e às turbulências da atmosfera, produzem uma corrente elétrica que flui de cima para baixo em toda a Terra. 

Uma corrente da ordem de 2,0 × 10–6 A atravessa cada quilômetro quadrado da atmosfera próxima à superfície da Terra em um dia de tempo bom.
(www.inpe.br. Adaptado.)

a) Calcule a quantidade de carga elétrica, em coulombs, que atravessa cada quilômetro quadrado da atmosfera próxima à superfície da Terra durante uma hora, em um dia de tempo bom.
b) Considere que o campo elétrico próximo à superfície terrestre, em condições de tempo bom, tem valor 120 V/m, direção vertical e sentido para baixo. Determine a intensidade, a direção e o sentido da força elétrica que atua sobre um íon com carga elétrica de valor –3,2 × 1
0–19 C, quando submetido a esse campo.

Resolução:

a) 
i = ΔQ/Δt => 2,0.10–6 A = ΔQ/3600s => ΔQ = 7,2.10–3 C
 
b)
Sendo q < 0, concluímos que a força elétrica tem direção vertical e sentido para cima. Sua intensidade é dada por:


F = IqI.E => F = 3,2.10–19.120 => F = 3,84.10–17 N

terça-feira, 28 de julho de 2015

Férias

Exercícios escolhidos

No período das férias preparamos para você, que acompanha os nossos cursos, alguns exercícios dos vestibulares do meio do ano. Aproveite para resolver as questões e avaliar o quanto você vai precisar estudar para ter sucesso nas provas.

Partícula lançada

(Escola Naval)
Observe a figura a seguir.



A figura acima mostra uma região de vácuo onde uma partícula puntiforme, de carga elétrica positiva q1 e massa m, está sendo lançada com velocidade
v0 em sentido ao centro de um núcleo atômico fixo de carga q2. Sendo K0 a constante eletrostática no vácuo e sabendo que a partícula q1 está muito longe do núcleo, qual será a distância mínima de aproximação, x, entre as cargas?

(A)
K0.q1.q2/m.(v0)2
(B)
2.K0.q1.q2/m.(v0)2 
(C) K0.q1.q2/2.m.(v0)2 
(D) √[(K0.q1.q2)/m.(v0)2]
(E) √[(K0.q1.q2)/2.m.(v0)2]

Resolução:

Pelo teorema da energia cinética, temos:

τAB = m.(v)2/2 - m.(v0)2/2

Sendo A um ponto bem longe do núcleo e B o ponto de aproximação mínima, temos:

q1(0 - K0.q2/x = 0 - m.(v0)2

x = 2.K0.q1.q2/m.(v0)2

Resposta: (B)

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Férias

Exercícios escolhidos

No período das férias preparamos para você, que acompanha os nossos cursos, alguns exercícios dos vestibulares do meio do ano. Aproveite para resolver as questões e avaliar o quanto você vai precisar estudar para ter sucesso nas provas.

Campo elétrico


(Mackenzie)
Considere as seguintes afirmações, admitindo que em uma região do espaço está presente uma carga geradora de campo elétrico (Q) e uma carga de prova (q) nas suas proximidades.

I. Quando a carga de prova tem sinal negativo (q < 0), os vetores força e campo elétrico têm mesma direção, mas sentidos opostos.
II. Quando a carga de prova tem sinal positivo (q > 0), os
vetores força e campo elétrico têm mesma direção e sentido.
III. Quando a carga geradora do campo tem sinal positivo (Q > 0), o vetor campo elétrico tem sentido de afastamento da carga geradora e quando tem sinal negativo
(Q < 0), tem sentido de aproximação, independente do sinal que possua a carga de prova.

Assinale

a) se todas as afirmações são verdadeiras.
b) se apenas as afirmações I e II são verdadeiras.
c) se apenas a afirmação III é verdadeira.
d) se apenas as afirmações II e III são verdadeiras.
e) se todas as afirmações são falsas.


Resolução:

De F = q.E, concluímos que:

Sendo q < 0, F e E  têm mesma direção e sentidos opostos.
Sendo q > 0,
F e E  têm mesma direção e mesmo sentido.

Quanto à carga fonte ou carga geradora (Q), temos:


Q > 0: campo de afastamento
Q < 0: campo de aproximação.


Assim, as afirmativas I, II e III estão corretas.


Resposta: a

domingo, 26 de julho de 2015

Arte do Blog

Sunrise - 1910

Jan Sluyters
  
Johannes Carolus Bernardus Sluijters, mais conhecido como Jan Sluyters, foi um pintor de origem holandesa que nasceu em 17 de dezembro de 1881, em 's-Hertogenbosch, Holanda. Sluijters foi pioneiro de vários movimentos pós-impressionistas nos Países Baixos.


 Heeze

Foi membro da Escola de Bergen, junto a Leo Gestel e Charley Toorop. Nas suas primeiras obras mostrou influência de Van Gogh, Matisse, Toulouse-Lautrec e Breitner. Mais tarde orientou-se para o expressionismo e o cubismo, com um estilo pessoal de intenso colorido.

Elisha and the Son of the Shunammite Woman

Mondrian foi um amigo próximo de Jan Sluyters que também conhecia e admirava Jan Toorop. No início de 1909 Sluyters expôs em conjunto com Mondrian e Cornelius Spoor no Stedelijk Museum Amsterdam.
 
Colourful flowers
x
Sluyters também fez experimentações com o cubismo antes de finalmente desenvolver um estilo colorido de Expressionismo, melhor visto em seus nus. Ele tinha predileção pela pintura de crianças.

Jan Sluyters morreu em 8 de maio de 1957, em Amsterdam, Holanda.

Landscape with full moon - 1910

 Clique aqui